Blog

scrum

Novo Guia Scrum 2017

Para quem esperava uma mudança mais substancial em termos de práticas, o novo Scrum Guide 2017 foi um banho de água fria.

A principal mudança na nova versão é em relação ao posicionamento e foco do framework: agora passa a ser posicionado como um framework para desenvolvimento de produtos complexos. Até a versão 2016, o Scrum era definido como “...um framework que tem sido usado para gerenciar desenvolvimento de produtos complexos...”. A partir da versão 2017, o Scrum passou a ser definido como “...um framework que tem sido usado para gerenciar trabalho de produtos complexos...”. De desenvolvimento de produtos para trabalho de produtos.

Na prática, o Ken e Jeff estão oficializando o Scrum como um framework ágil para quaisquer produtos desenvolvidos em ambientes complexos e imprevisíveis, tais como projetos de pesquisa, inovações, desenvolvimento de tecnologias, serviços, projetos de marketing e entre outros. Isso de certa forma é uma formalização do que já vinha acontecendo no mercado, pois muitas equipes de diversas áreas além de desenvolvimento de software já vinham usando e adaptando o Scrum para gerenciar projetos e produtos complexos.

Em termos práticos, a maioria das alterações no novo guia ocorreram para deixar o Scrum mais genérico, como por exemplo trocando textos como "...complex product development..." por "...work on complex products...". No entanto, alguns termos como “desenvolver” e “desenvolvedores” permanecerem os mesmos. Veja um techo do novo Scrum Guide que evidencia essa alteração:

“Quando as palavras 'desenvolver' e 'desenvolvimento' são usadas no Guia Scrum, elas se referem a trabalho complexo...”.

Isto significa que se você não for da área de desenvolvimento de software, ao ler no Scrum Guide, o termo “time de desenvolvimento”, poderá entender como “time de trabalho do projeto”. Assim sendo, este time pode se referir, por exemplo, a um time de analistas de marketing, caso esteja usando o Scrum em um projeto de marketing. Time de desenvolvimento neste novo contexto não significa necessariamente um time de desenvolvedores de software, mas um time de pessoas que fazem o projeto acontecer, que "desenvolvem" os itens de trabalho do projeto em si.

Nenhuma nova prática foi inserida, nenhum novo evento foi inserido e nenhuma regra foi modificada no novo guia. Em vez disso, foram feitas algumas pequenas melhorias na redação de algumas seções para esclarecer algumas dúvidas que pairavam sobre as regras do Scrum, como por exemplo, a não necessidade do time de desenvolvimento (ou time de trabalho do projeto 😊 ) responder as três famosas perguntas durante a reunião diária (o que foi feito desde a última reunião? O que será feito até a próxima reunião? Há algum impedimento para o trabalho?). A redação do novo guia deixa mais claro que a organização e o formato desta reunião é uma decisão do time de desenvolvimento, desde que as discussões foquem no progresso em direção à meta da sprint. Ou seja, apenas é sugerido que as três perguntas sejam respondidas em vez de ser um procedimento obrigatório.  Também ficou esclarecido que outras pessoas podem de fato estarem presentes durante na reunião diária além do time de desenvolvimento, mas não podem perturbar a reunião.

Apenas uma nova regra foi adicionada: a cada sprint, o time deve implantar ao menos uma melhoria identificada durante a última reunião de retrospectiva e classificada como de alta prioridade. Isso serve para assegurar a melhoria contínua. Então, vamos supor que durante a última reunião de retrospectiva o time Scrum identificou cinco melhorias que poderiam ser feitas e classificou duas delas com alta prioridade. Então, na sprint atual, o time deve escolher ao menos uma dessas duas melhorias e já colocá-las em prática. E isso deve ser refletido no backlog da sprint. Ou seja, ao olhar o Backlog da Sprint, todos devem ver atividades que reflitam a adoção da melhoria.

Se você está estudando se preparando para realizar a algum exame de certificação da Scrum.org, não se preocupe, pois todo o conteúdo atual do Scrum e dos nosso cursos (PSM, PSPO, ASF) continuam válidos.

Ainda não temos mais informações se as questões dos exames de certificação(do PSM I e PSPO I da Scrum.org e ASF do Exin) irão sofrer alguma revisão, mas é provável que futuramente sejam incluídas novas questões para testar que o candidato de fato entende que o Scrum é um framework para produtos complexos em geral e não apenas para desenvolvimento de software como era antes. O que podemos a dizer é que provavelmente a maioria das questões existentes nos exames tendem a permanecer iguais. 

À medida que formos obtendo mais informações vindas dos institutos (Scrum.Org e Exin), repassaremos a vocês imediatamente atualizando esse artigo. Em paralelo, vamos revisar alguns slides dos nossos cursos para fazer melhorias pontuais em alguns textos. Embora, conforme já foi mencionado anteriormente, todo o conteúdo dos nossos cursos ainda continua válido e suficiente para passar nos exames relacionados.

Caso tenha interesse em ler (em inglês) detalhe as mudanças realizadas no Scrum Guide, consulte esse link https://www.scrumguides.org/revisions.html

Tags:

Pesquisa

Categorias

Tags Mais Populares